terça-feira, agosto 29, 2006

CAOS EM PENSAMENTOS



Tilintar dos recortes

Era um tilintar suave no começo e era difícil para Juliana distinguir que objeto o fazia. O tilintar passou a ser mais forte era um som de tesoura, pensou Juliana. Sim! Era uma tesoura a recortar. Mas o que recortar? Só ouvia a tesoura. Foi aumentando o tilintar que agora já era um barulho horrível incomodando Juliana. Começou com uma tesoura, depois duas, três agora já não sabia quantas!
A busca por uma visão física das tesouras era angustiante, Juliana queria vê-las mas somente escutava-as. Quero saber o que elas estão recortando, eu quero saber, quero. Ela murmurava pelo quarto a procura.
Andréia, a enfermeira entrou no quarto encontrou Juliana murmurando, agitada andando de um canto ao outro. Que há menina? Hein? O que procura?
A enfermeira era muito paciente com os internos, todos ficavam admirados com a dedicação da moça já que a grande maioria dos funcionários não o eram.
A menina não escutava, nem se quer havia notado a presença da enfermeira. Andréia separou os remédios e o copinho com água.
- Toma menina, tome seu remédio vai ficar melhor .
Juliana escutava aquele barulho ensurdecedor, automaticamente andava pelo quarto até a enfermeira a guiar pelo braço para cama, Sente-se querida, tome isto ficará melhor.
Obediente ou sem notar o que se passava ali Juliana toma os dois comprimidos coloridos e o gole de água. Percebe que o barulho está mais baixo, mais e mais longe...

Um comentário: